segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Dia dos namorados? Poupem-me lá

Talvez seja o dia mais deprimente de todo o ano, pelo menos aqui para a amiga, que nem um urso de peluche é capaz de servir como companhia durante a noite, assim como um saco de água quente não me consegue aquecer os pés convenientemente. 
Não julguem os demais que é inveja, não. Nunca! Recuso a considerar sequer essa hipótese descabida.

Não ter um companheiro traz bastantes vantagens:


- Escusamos de gastar dinheiro em prendas cocorocó, sem sentido e utilidade nenhuma, camufladas por uma camada de sentimentos destrutivos.


- Não recebemos coisas e coisiiinhaas com corações e coraçõezinhos, tudo acabado em "inho", completamente piroso que recebemos com um sorriso fingido enquanto agradecemos e cometamos "ohhh, que fofinhooo meu amorzinhoo". Dispenso.


- Não tenho a obrigação de passar o grande dia com ele atrás e sempre com um sorriso estúpido nos lábios (característico de quem está in love).


- Não é necessário escrever um testamento em mensagem, que me iria fazer perder tempo e gastar o teclado do telemóvel, simplesmente porque não existe destinatário. 


- Não recebo aquele género de cartas que tanto eles teimam em trocar, em que em cada 20 palavras existem 18 a dizer "amo-te".


- Não preciso de disfarçar quando olho para a gajalhão bom que passa por mim e fingir que nem dei por ele passar. "Aí passou por aqui? Nem vi meu amorzinho, só tenho olhinhos para tiii, ihih".


- Posso combinar saídas à vontade com as minhas amigas sem dar justificações a ninguém.


- Ir à discoteca e dançar sem ter um empata atrás de mim, como meu namorado, claro está.


- Entre muitos outras que, apesar de não me lembrar, não deixam de ser extremamente importantes e coerentes na minha argumentação (mesmo que não sejam, são na mesma).


E é nesta perspectiva que hoje, durante uma aula de área de projecto, enquanto se fazia muito pouco, consegui reunir meia dúzia de pessoas que partilhavam a mesma opinião que eu. 
Lindo, pensei. 
E foi então, que entre todos os solteiros, descomprometidos, encalhados, surgiu a ideia de fazer um jantar anti-dia-dos-namorados, onde só poderão comparecer pessoas livres para beber, cantar, dançar, sem haver qualquer indícios de lábios húmidos (causados por beijos), mãozinhas nas perninhas, mãos-dadas, dialogo só entre duas pessoas, entre outros vestígios de traição em relação ao tema deste jantar.
Possivelmente vamos comer a um restaurante vegetariano, tudo porque? Porque estamos de dieta não comemos carne. Mas bebida não poderá faltar.


Declaro-me, perante vós, anti-dia dos namorados.






E só espero não os ver aos melos mesmo à minha frente. 



12 comentários:

Uma Croma disse...

E pronto, aqui está tudo dito xP

Bituca disse...

tu já estás mais virada para o outro lado, que desilusão, nem és uma solteira decente :S

ahah

Uma Croma disse...

Vai-teeeeee xP
Deves-me querer comer, não ? Olha que eu sou boa carneeeee ;)

Alexandre disse...

Para mim é um dia como todos os outros xD
Beijinhos e feliz dia Anti-Dia-Dos-Namorados :)

Trolha ^^, disse...

O que os solteiros querem sei eu =P eheh

Anti-dia-dos-namorados não sou... Mas sou completamente a favor do Dia dos Solteiros xD xD

Isa disse...

Concordo contigo, não ter companheiro também têm as suas vantagens :)
E se me permites junto-me a ti no facto de seres "anti-dia dos namorados" xD

"AnD'z" disse...

o dia dos namorados é só um dia estúpido que inventaram. Perfiro o dia mundial da árvore :p

Vera disse...

concordo plenamente :)

Pedro disse...

Não generalizes as coisas, vê pelo menos o lado positivo das coisas. Sabes ao menos desde quando existe o dia de S. Valentim? São Valentim é um santo reconhecido pela Igreja Católica e igrejas orientais que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, onde celebram o Dia de São Valentim. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.
Durante o governo do imperador Cláudio II, este proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército. Cláudio acreditava que os jovens se não tivessem família, alistariam-se com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentim e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega: Asterias, filha do carcereiro a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentim. Os dois acabaram apaixonando-se e milagrosamente a jovem recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270.
;)

Pedro disse...

Não generalizes as coisas, vê pelo menos o lado positivo e a história do dia dos namorados. Lê se quiseres --> São Valentim é um santo reconhecido pela Igreja Católica e igrejas orientais que dá nome ao Dia dos Namorados em muitos países, onde celebram o Dia de São Valentim. O nome refere-se a pelo menos três santos martirizados na Roma antiga.
Durante o governo do imperador Cláudio II, este proibiu a realização de casamentos em seu reino, com o objectivo de formar um grande e poderoso exército. Cláudio acreditava que os jovens se não tivessem família, alistariam-se com maior facilidade. No entanto, um bispo romano continuou a celebrar casamentos, mesmo com a proibição do imperador. Seu nome era Valentim e as cerimónias eram realizadas em segredo. A prática foi descoberta e Valentim foi preso e condenado à morte. Enquanto estava preso, muitos jovens jogavam flores e bilhetes dizendo que os jovens ainda acreditavam no amor. Entre as pessoas que jogaram mensagens ao bispo estava uma jovem cega: Asterias, filha do carcereiro a qual conseguiu a permissão do pai para visitar Valentim. Os dois acabaram apaixonando-se e milagrosamente a jovem recuperou a visão. O bispo chegou a escrever uma carta de amor para a jovem com a seguinte assinatura: “de seu Valentim”, expressão ainda hoje utilizada. Valentim foi decapitado em 14 de Fevereiro de 270.

Bituca disse...

Pedro, não fazia ideia! Sempre aprendi alguma coisa sobre o dia dos namorados!

Este post foi um momento de frustração interior :P
Generalizar sempre foi um dos meus defeitos. ando a tentar mudar isso , já não é mau de todo

Indivíduo em Questão disse...

Oi Bituca. Por vezes também me sinto frustrado ao ver que dias simbólicos como este e outros (Natal, Páscoa...) significam para muitos consumo...consumo...consumo...e na realidade não conhecem nem vivem o significado destes dias especiais. Não mudes, sê como és e continua a escrever aquilo que te apetece e aquilo que te está na mente. Para isso serve o blog, e com isso torna-o interessante. :)